Entrevista – Rafael PIXOBOMB (OPUS 666)

Pixo? Bomb? É dificil definir Rafael numa só modalidade. Transitando entre estilos, OPUS666 ou RAFAELPIXOBOMB coleciona protestos, polêmicas e muita disposição. Numa entrevista exclusiva para o BC, Rafael fala  brevemente sobre sua doutrina e como a arte de rua invadiu sua vida.

Aquele que tem o entendimento calcule…
Pinto como Rafael e piXo como PiXobomb, um Grego Augustaitiz, não só em Grego, Opus 666, O Antcristo.

01 – Você ja transitou entre estilos e até mudou seu nome nas ruas. O que você, Rafael, mudou como pessoa em todos esses anos?
Saudações…Uma vez perguntaram para um sábio escultor como ele concebia tal beleza(divindade) de uma pedra bruta, ele respondeu: A coisa já está lá, eu só a liberto. Continuo eXatamente o mesmo.

02 – O pixo assim como o graffiti bebem da mesma essiência, transgressora e muitas vezes marginal. Escalar um prédio por fora, algo mais recorrente na pixação,e descer fazendo um bomb preenchido foi algo que você fez e foi muito diferente no cenário da arte de rua. A expressão “pixobomb” representa o que pra você?
PiXobomb  foi um Mito; A luz das estrelas.

03 – Nos tempos de ditadura, a pixação era unica e exclusivamente de cunho politico e de protesto. A pixação hoje tem essa força? ou pra muitos se tornou apenas ego?
A natureza é perfeita.

04 – O que a pixação te proporcionou?
Viver…sonhar…ser.

05 – O que a pixação te tirou?
A paz.

06 – Qual foi o maior apuro que já passou na rua?
Eu convivo com a Morte, eu sou a Morte.

07 – Você é uma pessoa considerada contestadora e seus atos as vezes polêmicos. Se arrepende de algo?
Eu sou Lúcifer.

08 – Nesse tempo de rua, conseguiu distinguir sua vida pessoal da vida que a pixação te deu?
Conhece- te a ti mesmo.

09 – Quais são suas referências artísticas fora da rua?
Einstein, Marcel Duchamp, Raul.

10 – Em um país onde as instituições (saúde/educação/segurança) são todas deficitárias, a pixação e o graffiti parecem assuntos que se limitam apenas a uma pequena parcela da sociedade. Quem é do movimento lê e entende, as demais pessoas acabam não vendo sentido algum em letras emaranhadas num muro. É uma alienação dos dois lados?
As aventuras de Raul Seixas na cidade de  Thor.

11 – Em meio a eleições eminentes e uma copa onde foram gasto milhões com estádios, o que você espera de um país como o Brasil? Vê um futuro otimista?
Dentro do mambo e da consciência está o segredo do universo.

12 – Muitos escritores já tiveram problemas com a justiça que considera o ato de pixar um crime ambiental enquanto muitos outros atos de real importância ambiental são ignorados no Brasil ou pouco fiscalizados. Como vê essa situação?
Genealogia da Moral, uma Polêmica.

pixobomb_2