Kings of Graffiti – NEO

Lorem ipsum dolor

1979. Steven Weinberg ainda era uma criança quando começou a escrever nas escadarias de seu prédio, em Flushing no Queens, tradicional bairro de Nova Iorque. O nome escolhido para os primeiros rabiscos foi NEO: “O nome NEO representava algo novo. Não poderia ser diferente, era exatamente isso que eu era!” – explica Steven.

As paredes de seu prédio não eram mais suficientes. Junto de Ghost, um de seus primeiros parceiros, NEO bombardeou ônibus, caminhões e paredes do Flushing. Metrôs e trens foram as próximas vítimas: “Uma vez estávamos eu e LOOK1 caminhando sentido a Continental Avenue, era noite de Halloween. No último momento eu desisti. Eu vi um policial à paisana, foram meus “sentidos Neo”, como os do Homem-Aranha(me dizendo para não ir). No dia seguinte eu vi nos jornais que ele havia sido preso.” – conta NEO.

NEO fez parte de diversas crews como MPC, UA, QV, NOG e TDK. TDK foi a primeira de todas. Com Ghost e Robbie 179, fundou a conhecida RIS(Rockin it Suckers). Foi nessa época que conheceu o polêmico CAP: “As pessoas me aconselharam a não pintar com ele, pois ele arrancaria meus olhos fora. Foda-se! Nós estávamos em guerra com a RTW(Rolling Thunder Writers/Rock The World) e para mim quanto mais aliados, melhor. Nos encontramos na padaria onde CAP trabalhava. Pensei comigo: vai saber quantas pessoas ele já colocou nesse forno!(risos)”

A guerra que NEO e seus amigos travaram com a RTW tinha um único motivo: Ghost. Na época o filme Ghostbuster tinha acabado de ser lançado: “Eles(RTW) começaram a fazer aquele símbolo (círculo vermelho com um traço diagonal) dos Caça-Fantasmas em cima da letra “G” do Ghost. Todos compramos aquela briga.” – explica NEO.

Posteriormente NEO viria a se tornar policial e ter sua identidade revelada anos depois. Acusado pelo Departamento de Polícia de Nova Iorque, o ex-grafiteiro foi preso em 2010. Na época, Steven, que estava aposentado por invalidez, havia voltado novamente sua atenção ao graffiti. Há quem diga que mesmo depois de tanto tempo longe dos trilhos, Steven ainda pintava esporadicamente, aproveitando inclusive de sua credencial de policial para realizar tais ações. Ele nega as informações e ainda moveu uma ação contra as autoridades americanas.

“Comecei a escrever nas escadas do meu prédio, em Flushing no Queens. O ano era 1979. O nome que escolhi foi NEO, que representava algo novo, como eu mesmo.