Carla Arakaki Shoots #2 – Sustos e Profecia (Exclusivo)

“Se passaram 19 anos e ainda estou aqui, na ativa. Sou mais um sobrevivente e nessa trilha vou seguindo. Não amo só por estar de ponta cabeça, faço por que amo a rua! Ou eu vou ralar o joelho ou vou ralar a barriga!” (GG)

Na segunda matéria da série, a fotógrafa Carla Arakaki acampanhou de perto dois escritores tarimbados das ruas paulistanas. Pertencentes a duas turmas antigas de São Paulo, Profecia e Sustos, a dupla dispensa comentários quando o assunto é pixação.  Sob o vulgo de “GG” e “Guto”, a empreitada desta vez foi um local conhecido a muitos anos por ambos: o topo de um prédio. “Fiz meu primeiro prédio com o Nando (Raros), o Goiaba (RBS), o Zoreia (Friday13) e o finado Telo (A Firma) após o Point do Jabaquara, naquela época assinava “A Firma” com meu mano Telo. Como não tinha experiência não queriam que eu entrasse com eles para fazer o prédio. O Telo bateu o pé e disse que eu era A Firma e ia entrar sim (risos).  Acabamos rodando, todo mundo deu fuga e nos separamos. Não sabia nem voltar para casa na época. Me virei e voltei, no final deu tudo certo. Foi minha primeira experiência dentro desta modalidade. Uma época onde Sabota ainda não tinha gravado seu primeiro disco.” explica GG do Sustos.

O rolê desta vez no entanto teve inicio na praça Roosevelt, pico clássico de skatistas no centro do São Paulo. Carla, GG e Guto se encontraram dia 16 de Dezembro e partiram madrugada a dentro atrás de um prédio favorável para escreverem seus nomes. Depois de adentrar no prédio escolhido, os dois escritores começariam os trabalhos daquela noite. “Não fiz muitos prédios mas fiz com meus amigos que foram e são os melhores da série. Se fosse comparar com o Havaí, surfei com os melhores do planeta. Por que corri em São Paulo e quem corre em “Essepê” o lance é outro madureira.” comenta GG sobre suas experiências em cima de prédios.

GG aliás foi o primeiro a fazer seu pixo naquela noite. Delimitaram os lugares e Guto, deitado sobre o telhado, observava a noite e o velho amigo esticando suas letras prédio abaixo. Guto foi o segundo a  fazer. Para finalizar fariam o nome da turma entre os dois “rolês”: Adolescência Rebelde. “Nesse rolê graças a Deus fomos bem sucedidos. Mas tem noites que você vai pra guerra e nem toda guerra você consegue vitórias. Mas essa foi mais uma batalha vencida. A minha parceria com o Guto já tem 14 anos, desde a primeira vez que corri com ele. Já vivemos aventuras sem palavras e o Guto se tornou meu irmão de fé, de luta e de diversão. E é com nossos irmãos que temos que estar juntos nesses momentos de guerra”.

Terminado o “rolê” era hora de descer e Carla fazer os últimos cliques do prédio já pronto. Mais uma missão concluída pelos escritores que já colecionaram histórias e mais histórias pelas ruas de São Paulo. Ah, o caminho de volta pra casa desta vez GG sabia de cor.

 

Confira as fotos: