2
Kings of Graffiti: Loomit
3 agosto, 2017

Kings of Graffiti: Loomit

Lorem ipsum dolor

Loomit e Chintz tem muitas coisas em comum. Alemães de nascença, ambos trilharam caminhos parecidos dentro do graffiti. Aclamados no velho mundo, foram responsáveis por influenciar toda uma geração de escritores. “A irmã de um colega da escola que tinha feito intercâmbio em Nova Iorque trouxe a notícia do graffiti aos meus ouvidos pela primeira vez” conta Loomit.

Kings of Graffiti – Delfonics
28 março, 2017

Kings of Graffiti – Delfonics

Lorem ipsum dolor

Considerado um dos precursores do graffiti nova-iorquino, Delfonics tornou-se lenda da Linha 7, considerada a linha mais estreita da rede metroviária de Nova Iorque: “A primeira vez que decidi pintar na Linha 7 estava com FAB e Spade 198 e mais alguns escritores. Nos aproximamos do yard e entramos por um buraco na cerca de proteção, antes disso ainda havíamos atravessado um pântano! Naquela noite todos aprendemos a não ir ao yard nos finais de semana à noite (risos)” – conta DEL. “There are allot of things in my life I’m not proud of , but Graffiti is not one of them.” (Há muitas coisas na minha vida que eu não estou orgulhoso, mas o Graffiti não é um deles) – LEIA MAIS

Kings of Graffiti: Chino Byi
6 fevereiro, 2017

Kings of Graffiti: Chino Byi

Lorem ipsum dolor

David Villorente é conhecido por todo escritor americano que se preze. Nascido e criado nas ruas do Brooklyn, Chino é considerado por muitos uma enciclopédia ambulante quanto o assunto é graffiti. Hoje historiador do movimento, Chino ganhou notoriedade nas ruas e também fora delas. Com mais de onze anos no posto de editor de revistas como “Bomb Shelter e “Graf Flix”, Villorente é co-autor de livros como “Mascots and Mugs” e os best-sellers “Piecebook”, famosos no mundo do graffiti mundo a fora.

Kings of Graffiti – Kilroy
10 janeiro, 2017

Kings of Graffiti – Kilroy

Lorem ipsum dolor

Não há como identificar com precisão quando o graffiti realmente surgiu. Que o homem tem há séculos a necessidade de se expressar através da escrita e de simbologias, todos concordam, porém o termo “Graffiti” só foi realmente usado com o sentido que hoje conhecemos após a Segunda Guerra Mundial, época em que o spray para pintura foi inventado e as gangues ressurgiam na cidade de Nova Iorque. Nesse mesmo período, ainda nos anos 40, antes mesmo de nomes importantes como “Cornbread” e “Kool Earl” aparecerem, eis que surge o que seria o primeiro escritor de todos os tempos:”Kilroy”. A escrita “Kilroy was here” ficou mundialmente famosa, sendo vista em milhares de navios e embarcações da Segunda Grande Guerra. Sua marca LEIA MAIS

Wall Writers
16 dezembro, 2016

Wall Writers

Lorem ipsum dolor

Antes de artistas como Banksy e Shepard Fairey se tornarem famosos, escritores (isso há mais de 40 anos) já escreviam seus nomes pelas ruas da América. Elementos como setas e coroas eram vistos pela primeira vez junto as “tags” que assolavam a cidade lá pra década de 60 e 70. Era o começo do graffiti e daquilo que seria toda uma evolução de estilos ao longo dos anos.

Kings of Graffiti – Kel 139
29 julho, 2016

Kings of Graffiti – Kel 139

Lorem ipsum dolor

Kel é um daqueles raros escritores que fizeram parte de 3 importantes crews da história do graffiti.  No final dos anos 70 conheceu Dondi White, quando ainda moravam no Brooklyn. Cerca de 9 anos mais tarde criaria a “Roc Stars” (ou também Roc on City), uma crew conhecida por seu estilo e seus famosos wholecars ilustrados com b-boys e personagens de Vaughn Bode. Com o fim da crew, Kel 139 entraria para a histórica RTW (Rolling Thunder Writers), junto de importantes nomes como Bil Rock, Min(NE), Haze, Revolt e Zephyr. TKA (The Kool Artists) foi a crew subsequente. Atualmente Kel vive como designer e explica como foi sua mudança, das linhas do MTA para a tela de um computador: “Eu tinha que descobrir o que queria fazer (em termos de LEIA MAIS

Kings of Graffiti – P.Nut
18 julho, 2016

Kings of Graffiti – P.Nut

Lor

Mais um escritor americano da velha escola, Robert P.Nut merece um lugar de destaque entre os grafiteiros de sua época. Falecido, ainda hoje se pode notar a influência de suas letras em alguns escritores da nova geração. Terror 161, amigo de P.Nut, define o amigo em poucas palavras: “A era dourada do graffiti é algo subjetivo, mas P.Nut escreveu sua caminhada com grandeza durante o período que estava envolvido nesse tipo de arte. Algum de seus outlines vieram diretamente do amigo Phase 2, de quem a letra “P” teve grande influência. Surgiu no movimento escrevendo Bobby 172 que durou até meados dos anos 70 e escreveu seus pieces icônicos e esquisitos com as crews mais consagradas da sua época”.    

Kings of Graffiti – King 2
1 julho, 2016

Kings of Graffiti – King 2

Lorem ipsum dolor